25 de mar de 2013

O PAPA FRANCISCO - PETRUS ROMANUS, veja íncrível descoberta.


acélebreprofeciasobreospapas


O PAPA FRANCISCO - PETRUS ROMANUS
Habemus Papam !


O NOVO PAPA 

É

"Fumo branco !"




Habemus Papam !




"FRANCISCO, O PAPA DO FIM DO MUNDO"
(Palavras do próprio Papa eleito)


*NO LINK ABAIXO VOCÊ VAI FICAR POR DENTRO DE TUDO A RESPEITO DO:
PAPA FRANCISCO - PROFECIAS E NOTÍCIAS!



A PROFECIA 

DO APOCALIPSE 
DE 
JOÃO 

SOBRE 
OS 
ÚLTIMOS SETE PAPAS 

APOCALIPSE CAPÍTULO 17 VERSÍCULOS 1 À 3:

"E VEIO um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas; 
Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição.
E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres."


 - Esses sete reis são sete Papas, devidamente eleitos após 11 de fevereiro de 1929, quando foi feito o Tratado de Latrão entre o Papa Pio XI e o ditador Benito Mussolini, quando o Vaticano tornou-se, desde então, um estado independente entre as nações do mundo.

- Os sete reis da profecia do capítulo 17 do Apocalipse, são os últimos sete Papas do Estado do Vaticano, os quais, devem somente ser contados, após a eleição do Papa Pio XII, que foi o primeiro Papa eleito após 11 de fevereiro de 1929, quando então, os Papas passaram a ser considerados Reis em Roma. 

- Quando o Tratado de Latrão foi feito em 1929, o então Papa Pio XI já havio sido eleito 7 anos antes, em 1922. Portanto, os sete Papas e Reis em Roma, só podem ser considerados à partir da eleição do sucessor de Pio XI, a saber, o Papa seguinte, Pio XII.

Segundo esse novo entendimento que é muito mais sensato e lógico, os sete reis ou sete Papas citados na profecia do Apocalipse em seu capítulo 17, são:

1) - PIO XII (1939-1958)

2) - JOÃO XIII (1958-1963)

3) - PAULO VI (1963-1978) 

4) - JOÃO PAULO I (1978)

5) - JOÃO PAULO II (1978-2005)

6) - BENTO XVI (2005-2013)

7) - FRANCISCO (2013 - 2016)


- Mas, a profecia do capítulo 17 do Apocalipse também fala que haverá um oitavo rei, que não será um oitavo papa, mas, sim a besta.

SEGUE ABAIXO A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO TRECHO DO CAPÍTULO 17 VERSÍCULOS 7 À 11 DO APOCALIPSE, QUE REVELA QUEM SÃO ESSES SETE REIS:

"E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher (A IGREJA DE ROMA), e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres.
A besta que viste foi (O PAPADO E O PAPA) e já não é (MAIS O PAPADO E O PAPA), e há de subir do abismo (DA TERRA - CONFORME CAPÍTULO 13 DO APOCALIPSE, QUE FALA DO FALSO PROFETA), e irá à perdição (CONFORME II PAULO TESSALONICENSES CAP. 2); e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era (O PAPADO E O PAPA) e já não é (MAIS O PAPADO E O PAPA), mas que virá.
Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes (AS SETE COLINAS OU SETE MONTES AO REDOR DE ROMA), sobre os quais a mulher (A IGREJA DE ROMA) está assentada.
E são também sete reis (SETE PAPAS E REIS ELEITOS EM ROMA, DESDE O TRATADO DE LATRÃO EM 1929); cinco já caíram (PIO XII, JOÃO XIII, PAULO VI, JOÃO PAULO I E JOÃO PAULO II - ATÉ 02 DE ABRIL DE 2005), e um existe (O SEXTO: BENTO XVI, O QUE AINDA EXISTE, ISTO É, ESTÁ VIVO, POIS, NÃO MORREU, PORQUE RENUNCIOU AO PAPADO EM 28 DE FEVEREIRO DE 2013 E CONTINUA AINDA SENDO CONSIDERADO COMO BISPO DE ROMA E PAPA EMÉRITO); o outro (O SÉTIMO) ainda não é vindo (ISTO É, AINDA NÃO HAVIA SIDO ELEITO COMO PAPA DESDE A RENÚNCIA DE BENTO XVI, E  DA SEDE VACANTE - DE 01 DE FEVEREIRO À 12 DE MARÇO DE 2013); e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo (JÁ VEIO!, É O ATUAL PAPA FRANCISCO, QUE NÃO É EXATAMENTE O SUCESSOR DO PAPA BENTO XVI, MAS, APENAS SEU SUBSTITUTO, POIS, BENTO XVI AINDA ESTÁ VIVO, AINDA EXISTE COMO SENDO CONSIDERADO PAPA E BISPO DE ROMA, AINDA QUE EMÉRITO. E QUANTO A FRASE: "QUANDO VIER CONVÉM QUE DURE UM POUCO DE TEMPO", NESSA FRASE PROFÉTICA ESTÁ IMPLÍCITA A VONTADE DE DEUS DE QUE O PAPA FRANCISCO FIQUE, POR ALGUMA RAZÃO, SOMENTE UM POUCO DE TEMPO NO PAPADO DE SÃO PEDRO, EM ROMA, NO VATICANO, PORQUE O FIM DOS TEMPOS ESTÁ PRÓXIMO E JÁ ESTAMOS VIVENCIANDO ESSES TEMPOS)
E a besta que era (O PAPADO E O PAPA) e já não é (MAIS O PAPADO E O PAPA), é ela também o oitavo (REI), e é dos sete (ISTO É, PROCEDE DOS SETE, NO SENTIDO DE VIR IMEDIATAMENTE APÓS OS SETE REIS E PAPAS ANTERIORES), e vai à perdição (CONFORME NOS REVELOU O APÓSTOLO PAULO EM SUA SEGUNDA EPÍSTOLA AOS TESSALONICENSES CAP. 2 ACERCA DE O ANTICRISTO, O HOMEM DO PECADO, "O FILHO DA PERDIÇÃO")

- DE ALGUMA MANEIRA, O PAPADO DO PAPA FRANCISCO, QUE É O SÉTIMO REI E PAPA EM ROMA, SERÁ BREVE, PARA QUE POSSA SER MANIFESTADO O FILHO DA PERDIÇÃO COMO UM OITAVO REI EM ROMA E NO PRÓPRIO VATICANO. O PAPA FRANCISCO TERÁ DE FUGIR DE ROMA, NA SUA AUSÊNCIA, UM ANTIPAPA SURGIRÁ PARA SE CONTRAPOR A ELE EM SEU PONTIFICADO E TOMAR O SEU LUGAR. CERTO É QUE, QUE ALGO DE MUITO SÉRIO E GRAVE VAI ACONTECER À ROMA E AO VATICANO DAQUI À 3 ANOS E MEIO, QUE É A METADE DOS SETE ANOS FINAIS EM QUE ESTAMOS JÁ VIVENDO. E É POR CAUSA DO QUE SOBREVIRÁ REPENTINAMENTE À ROMA(UMA REVOLUÇÃO NA ITÁLIA E/OU UMA GUERRA NA EUROPA), QUE O VATICANO SERÁ AFETADO DIRETAMENTE, O QUE PROVOCARÁ A FUGA DO ATUAL PAPA FRANCISCO, QUE IRÁ SE REFUGIAR PRIMEIRAMENTE NA FRANÇA, ONDE SERÁ MORTO. ENTÃO, A IGREJA VERDADEIRA SERÁ TRANSFERIDA ESPIRITUALMENTE PARA JERUSALÉM, ENQUANTO EM ROMA E NO VATICANO, UM OUTRO TOMARÁ O LUGAR DO PAPA (UM ANTIPAPA), UM OUTRO QUE NÃO SERÁ ELEITO CANONICAMENTE POR UM CONCLAVE LEGÍTIMO.
FIQUEMOS ATENTOS E AGUARDEMOS OS PRÓXIMOS ACONTECIMENTOS.




O TRATADO DE LATRÃO E A PROFECIA DOS SETE ÚLTIMOS PAPAS

A profecia:

Livro do Apocalipse capítulo 17 versículos 9 à 11:


"Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada.
E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.
E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição."


Após, e somente após o Tratado de Latrão; que foi celebrado entre o Cardeal Pietro Gasparri e o ditador italiano Benito Mussolini, tratado que deu ao Vaticano um estado independente em 11 de fevereiro de 1929; é que podemos considerar a contagem oficial dos sete reis (sete papas-reis e chefes de estado do Vaticano), os quais profetiza o livro do Apocalipse cap. 17: 9-11, de acordo com a interpretação mais correta e atual. 

Segundo a profecia do Apocalipse, sete papas (sete reis) subiriam ao trono de São Pedro, já no nomeado Estado do Vaticano, entre 1929 e 2013 (até 2016), após o que, haveria o surgimento de O Anticristo (a própria besta em pessoa) que será um oitavo rei, o qual, procederá dos sete anteriores.

O primeiro Papa-rei:

A história conta que, à partir de 11 de fevereiro de 1929, todo Papa eleito em conclave receberia o título de Rei, posto que, após essa data histórica, o Vaticano se transformou num Estado soberano e independente; logo, o Papa que estava no poder na época, a saber, Pio XI, aparentemente se tornaria o primeiro papa-rei em Roma e da Igreja. No entanto, Pio XI não recebeu o título oficial de Rei em Roma quando subiu ao poder, muito embora a história o considere como tal, pois quando a Lei foi promulgada e assinada com o Tratado de Latrão, Pio XI já era papa desde 1922. Sendo assim, somente o seu sucessor, o Papa Pio XII, é que foi verdadeiramente o primeiro Papa eleito a receber oficialmente o título de Rei do Estado Pontifício do Vaticano, já sob o vigor do Tratado do Latrão. Assim, estando corretamente sub-entendido esse momento da história da Igreja, é que podemos interpretar também de forma correta, o trecho do capítulo 17 do Apocalipse, que diz: 

"E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; o outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.
E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição."

Interpretação:

"E são também sete reis": Sete Papas reis em Roma, contados à partir de 11 de fevereiro de 1929.

Os 5 Papas-reis:

“Cinco já caíram”: 

01) Pio XII (1939 à 1958 - por morte)

02) João XXIII. (1958 à 1963 - por morte)

03) Paulo VI (1963 à 1978 - por morte)

04) João Paulo I (1978 - (33 dias) - por morte)

05) João Paulo II (1978 à 2005 - por morte)


“Um existe”: O sexto

06) Bento XVI (2005 à 2013 - 28 de fevereiro - por ato de renuncia ao Papado)


“Outro não é vindo": O Sétimo

07) Francisco (o Papa atual, eleito no conclave de 13 de março de 2013)

O Sétimo rei:

"Quando vier convém que dure um  pouco de tempo”:

João - o Apóstolo, foi arrebatado em espírito ao futuro, à época da renuncia do Papa Bento XVI (O sexto papa-rei), presenciando exatamente o período profético e histórico entre o dia 28 de fevereiro de 2013 e o dia 12 de março de 2013, ou seja, o período de 12 dias entre a data da renúncia oficial do papa Bento XVI e a Sede Vacante da Igreja (período sem Papa até o Conclave).



Tratado de Latrão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Formalizado em 11 de fevereiro de 1929 na Basíluica de São João de Latrão e ratificado em 7 de junho de 1929, em Roma, na Itália entre o Papa Pio XI e o ditador italiano Benito Mussolini, com o propósito de pôr fim a Questão Romana.


Mapa da cidade do Vaticano


O Tratado de Latrão"tratado de Santa Sé" ou "tratado de Roma-Santa Sé", é um dos pactos lateranenses de 1929 feitos entre o Reino de Itália e a Santa Sé, sendo ratificado em 7 de junho de 1929, dando fim à "Fronteira Ferroviária". O Vaticano na verdade é um Enclave dentro da capital da Itália, que é a cidade de Roma. Não menos profética, a praça anterior, em frente a praça de São Pedro em Roma chama-se Praça Pio XII (nome do primeiro Papa e Rei de Roma eleito legitimamente pelo conclave em 1939, após a assinatura do Tratado do Latrão, que conferiu aos papas desde então, o título e o brasão de Reis em Roma).  


Os pactos consistiam em três documentos:

1) Um reconhecimento total da soberania da Santa Sé no Estado do Vaticano.

2) Uma concordata regulando a posição da religião católica no Estado.

3) Uma convenção financeira acordando a liquidação definitiva das reivindicações da Santa Sé por suas perdas territoriais (Estados Pontifícios) e de propriedade.

Precedentes históricos

Em 756, Pepino, o breve rei dos francos, deu ao Papa um grande território no centro de Itália. A existência destes Estados Pontifícios terminou quando, em 1870, as tropas do Rei Vítor Emanuel II entraram em Roma e incorporaram no Reino de Itália esta parte do território. Em 13 de março de 1871, Vítor Emanuel II ofereceu como compensação ao Papa Pio IX uma indenização e o compromisso de mantê-lo como Chefe do Estado do Vaticano, um bairro de Roma onde ficava a sede da Igreja. O Papa porém, recusa-se a reconhecer a nova situação e considera-se prisioneiro do poder laico, dando início assim à Questão Romana.

Embora tenha negado inicialmente a proposta do governo italiano, a Igreja aceita estas condições em 11 de fevereiro de 1929, por meio do Tratado de São João de Latrão ou simplesmente Tratado de Latrão, que criou um novo estado, assinado pelo ditador fascista Benito Mussolini, então chefe do Governo italiano e o cardeal Pietro Gasparri, secretário de Estado da Santa Sé.

 Este Tratado formalizou a existência do Estado do Vaticano (cidade do Vaticano), Estado soberano, neutro e inviolável, sob a autoridade do Papa, e os privilégios de extraterritorialidade do palácio de Castel Gandolfo e das três basílicas, a de São João de Latrão, a de Santa Maria Maior e a de São Paulo Extramuros. Por outro lado, a Santa Sé renunciou aos territórios que havia possuído desde a Idade Média e reconheceu Roma como capital da Itália.

O acordo também garantiu ao Vaticano o recebimento de uma indenização financeira pelas perdas territoriais durante o movimento de unificação da Itália. O documento estabeleceu normas para as relações entre a Santa Sé e a Itália, reconheceu o catolicismo como religião oficial desse país, instituiu o ensino confessional obrigatório nas escolas italianas, conferiu efeitos civis ao casamento religioso, aboliu o divórcio, proibiu a admissão em cargos públicos dos sacerdotes que abandonassem a batina e concedeu numerosas vantagens ao clero.

Santa Sé

Território do Estado do Vaticano, estabelecido pelo Tratado de Latrão.

O tratado foi incorporado à Constituição italiana em 1947, com a condição de que o papa deveria jurar neutralidade eterna em termos políticos. O papa poderia atuar como mediador em assuntos internacionais, mas só quando fosse solicitado.

Em 1978, os termos desse acordo concordatário foram reformulados e o catolicismo deixou de ser a religião oficial da Itália, tornando-se um Estado laico. Nesse mesmo ano, as relações do Vaticano com a Itália deterioram-se com a aprovação do divórcio naquele país.

Em fevereiro de 1984, uma concordata firmada entre a Santa Sé e o governo italiano modificou alguns termos do Tratado de Latrão. Aboliu a obrigatoriedade do ensino religioso, que passou a ser oferecido somente a pedido dos pais dos alunos. O Vaticano permaneceu como Estado soberano, governado pelo Papa e com sede em Roma, que, contudo, perdeu o título de"cidade sagrada".

O Tratado de Latrão (1929), assinado entre Benito Mussolini e Pio XI em 7 junho de 1929, pôs fim à crise desencadeada entre o governo italiano e o Papado, na época da unificação italiana, ao criar o Estado Vaticano.

Renúncia ou Resignação do Papa:

Bento 16 não foi o único e nem o primeiro Papa à renunciar. 3 outros Papas anteriores á Bento XVI também renunciaram.

Embora a possibilidade de renúncia de um papa esteja prevista no Código de Direito Canônico, a decisão de Bento XVI de abrir mão do comando da Igreja Católica causou surpresa em fiéis do mundo todo e até mesmo na cúpula do Vaticano. Isso porque a situação é incomum, já que o último pontífice a renunciar foi Gregório XII, há quase 600 anos.

Historiadores ainda divergem sobre o número de papas que renunciaram aos seus postos, mas há unanimidade em três casos: Ponciano, Celestino V e Gregório XII. Segundo o historiador medieval Donald Prudlo, professor da Universidade do Alabama, por ser uma situação extremamente rara, a decisão da renúncia abre um questionamento sobre o que acontece com o papa após abdicar do cargo.

Ele explicou à Rádio do Vaticano que um dos casos mais conhecidos é o de Celestino V, que após a renúncia acabou sendo colocado em uma espécie de cela, em uma vida reclusa sob supervisão do novo pontífice eleito, Bonifácio VIII. 

Situação diferente viveu o último papa a renunciar antes de Bento XVI. "O Papa Gregório XII, por outro lado, viveu o resto de sua vida como um bispo muito respeitado", afirma. 

De acordo com ele, apesar do "choque" que a renúncia de Bento XVI causou, a Igreja Católica está preparada para enfrentar o desafio de escolher um novo papa com o antecessor ainda em vida.

Veja a seguir a trajetória dos papas que renunciaram a seus cargos:

Ponciano

O Papa Ponciano renunciou em 235 d.C.

Segundo Donald Prudlo, as primeiras evidências sobre a possibilidade de renúncia de um papa vem do ano de 235 d.C., com São Ponciano. O italiano nascido em 175 assumiu o comando da Igreja Católica após um conclave em 230, uma época marcada por pela divisão do catolicismo.  

Ponciano e outros líderes da Igreja foram exilados pelo imperador romano Maximino Trácio na Sardenha, uma ilha do mar Mediterrâneo. Percebendo que jamais conseguiria retornar ao Vaticano, decidiu renunciar ao posto.

Celestino V

O Papa Celestino V renunciou em 1234 d.C.

São Celestino V renunciou à função no mesmo ano de sua eleição, em 1294. Ele vivia como eremita até a sua nomeação como papa e não se sentiu preparado para assumir a liderança da Igreja. A escolha de um desconhecido foi a opção do conclave para acabar com a guerra pela sucessão de Nicolau IV, morto dois anos antes. Mas o novo Papa rapidamente expôs as razões que o impediam de desempenhar suas funções: sua humildade e saúde. Ele abdicou em 13 de dezembro de 1294 e alguns dias depois o cardeal Bento Gaetani foi eleito para sucedê-lo sob o nome de Bonifácio VIII.

O novo papa tentou manter Celestino a seu lado, mas o monge tentou escapar e se juntar novamente à sua ordem, que passou a adotar o nome de"Celestinos". No entanto, ele foi capturado pelos guardas do Papa e passou a viver em uma espécie de cela. Celestino V morreu em 1296 e está sepultado na igreja de sua ordem em Aquila.

Gregório XII

O Papa Gregório XII renunciou em 1415 d.C.

Nascido em Veneza em 1327, Angelo Correr foi eleito papa com mais de 80 anos de idade. Ele assumiu o posto em 1406, com o nome de Gregório XII. A renúncia ocorreu em 1415, como parte de uma negociação no Concílio de Constança para acabar com as disputas de poder dentro da Igreja durante o período do Grande Cisma do Ocidente – uma crise na Igreja Católica que perdurou de 1378 a 1417. Como seu sucessor, foi eleito Marinho V. Gregório XII se tornou um bispo respeitado e morreu um ano depois.


O próprio anjo em apocalipse revela a profecia do capítulo 17 do livro ao apóstolo João, no trecho que diz:

"Aqui está o sentido: “As sete cabeças são sete montes nos quais a mulher está sentada”.

Roma é conhecida como a cidade dos sete montes, ou das sete colinas. A Mulher é, como o próprio Anjo revelou, a cidade de Roma, e Babilônia - A Grande prostituta é a Igreja de Roma que se confunde profeticamente com a própria cidade de mesmo nome.

E continua a revelação do anjo dizendo que os sete montes: "são tembém sete reis, dos quais cinco já caíram; um existe, e o outro ainda não é vindo; e, quando vier, tem de durar um pouco de tempo..."

Isso significa que as sete cabeças que são sete montes, são também sete reis. A cabeça é a que comanda o corpo e a Cabeça visível da Igreja Católica é o Papa. Então, sendo assim, as sete cabeças são sete papas. 

 Os papas sempre foram lideres e governadores da Igreja Católica Romana; mas nem sempre foram reis. Uma pessoa, para ser um rei, deve governar um reino, uma nação ou um país soberano e independente. 

Se alguém governa uma província ou um estado, esse alguém é um governador, mas não um rei. A igreja Católica era apenas uma denominação religiosa desde sua fundação, mas, isso somente até 1929. Nesse ano histórico, o ditador Italiano Benito Mussolini deu ao Papa Pio XI 44 hectares de terra, nos quais foi fundado o Estado do Vaticano, um país independente e monárquico, enclavado no meio da cidade de Roma, capital da Itália, cujo rei e chefe de Estado passou a ser o Papa. 

PIO XII E NÃO PIO XI !!!

Pio XI já era o Papa eleito quando esta mudança tomou lugar, e na verdade foi somente o seu sucessor, o Papa Pio XII, aquele que veio a tornar-se o primeiro Papa e “Rei” legítimo em Roma, após assinatura do Tratado de Latrão, que deu ao Vaticano o Status de nação soberana e independente entre as nações do mundo. Consequentemente, somente ao primeiro Papa eleito  após a assinatura do Tratado, foi conferido o status de chefe de estado e também de Rei em Roma e esse Papa foi Pio XII e não Pio XI.

O anjo levou João para o tempo futuro, mais precisamente à nossa época atual - o dia, o mês e o ano exatos - entre a mudança do sexto para o sétimo Papa-Rei, ou exatamente, entre o dia 28 de fevereiro de 2013 - das 20 hs. de Roma - (data e hora da vigência da renúncia histórica do Papa Bento XVI)e o dia 13 de março de 2013 - 19:06 hs. (até o momento exato e anterior à eleição do Papa Francisco - o sétimo Papa-Rei em Roma), o que nos mostra que, a profecia somente seria entendida, quando o Papa Bento XVI (O Sexto Papa e Rei) renunciasse ao Trono de São Pedro, e por conseguinte, na mesma época fosse eleito o seu sucessor, o atual Papa Francisco.

Portanto, reitero, que a contagem desses sete reis (sete Papas), somente deve começar, à  partir da eleição do Papa Pio XII em 1939 (exatamente aos 2 de março de 1939), que ele tornou-se assim, o primeiro Papa e Rei em Roma. 

E dentro desse entendimento profético e histórico, que os  5 papas -“reis”que já haviam caído (até 02 de abril de 2005 - data da morte do Papa João Paulo II)foram: 1- Pio XII, 2 – João XXIII; 3 – Paulo VI; 4 – João Paulo I e 5 – João Paulo IIO sexto, que ainda existe, como diz a própria profecia, é o atual Papa Emérito Bento XVI (que está vivo, renunciou em 28 de fevereiro de 2013), mas, ainda existe (não morreu, está vivo) como Papa e Bispo Emérito de Roma. O sétimo, que ainda não havia vindo e que convém dure um pouco de tempo, é o atual Papa Francisco. 

O oitavo rei, conforme diz a profecia, será aquele que "PROCEDE" dos sete anteriores, aquele que será a própria besta cor de escarlata encarnada, que subirá do abismo da terra, onde foi encerrada por mil anos proféticos, conforme capítulo 20 do Apocalipse.

Analisando o termo: "PROCEDE" dos sete

*O QUE O ANJO QUIS MOSTRAR À JOÃO NA PROFECIA DO CAPÍTULO 17 DO APOCALIPSE, É EXATAMENTE O QUE ELE DISSE, OU SEJA, QUE O OITAVO REI "PROCEDE" DOS SETE, POIS, DA MESMA FORMA QUE O SÉTIMO REI PROCEDE DOS SEIS ANTERIORES A ELE, O QUINTO PROCEDE DOS QUATRO, E ASSIM POR DIANTE, DA MESMA MANEIRA O OITAVO REI PROCEDERÁ DOS SETE, NO SENTIDO DE VIR DEPOIS DELES.

DE UMA MANEIRA MAIS OBJETIVA, VOLTEMOS AO PAPADO DO PAPA PIO XI, O PAPA DA ÉPOCA DA CELEBRAÇÃO DO TRATADO DE LATRÃO EM 1929. DA MESMA FORMA QUE O OITAVO REI, QUE, SUPÕE-SE, SERÁ UM OITAVO PAPA-REI EM ROMA, O QUAL VIRÁ IMEDIATAMENTE NA SEQUENCIA DOS OUTROS SETE ANTERIORES, ASSIM TAMBÉM, OS OUTROS PAPAS ANTERIORES À ESSES SETE ÚLTIMOS, QUE NÃO ERAM AINDA CONSIDERADOS REIS, DESDE O PRIMEIRO DA SEQUENCIA DOS SETE ÚLTIMOS PAPAS E REIS, PODEMOS ARGUMENTAR QUE ESSES OUTROS PAPAS QUE NÃO ERAM REIS, TAMBÉM PROCEDERAM UNS DOS OUTROS, OU SEJA, SUCEDERAM-SE UNS APÓS OUTROS NUMA SEQUENCIA PURAMENTE NUMÉRICA E NADA MAIS, INDEPENDENTE DESSES PAPAS SEREM REIS OU NÃO. 

O QUE ACONTECE NO CASO DA REVELAÇÃO DADA NO APOCALIPSE COM RELAÇÃO AOS SETE REIS, É QUE A PROFECIA APENAS RELACIONOU A SEQUENCIA DOS ÚLTIMOS OITO PAPAS, ÀS EXCEÇÃO DE QUE O OITAVO REI, SERÁ ELE PRÓPRIO A BESTA COR DE ESCARLATA. ESSES OITO ÚLTIMOS SÃO, NÃO TÃO SOMENTE PAPAS, MAS, TAMBÉM REIS EM ROMA, ENQUANTO OS OUTROS PAPAS ANTERIORES À ESSES OITO ÚLTIMOS, NÃO DETINHAM O TÍTULO DE REIS EM ROMA, MAS, APENAS FORAM PAPAS, FATO QUE MUDOU SOMENTE À PARTIR DO HISTÓRICO TRATADO DE LATRÃO ASSINADO EM 1929.

O TERMO "PROCEDER:

Do latim "Procedere", cujo significado é: ter início ou origem em; provir, originar. Como à querer nos dizer que, somente à partir destes últimos sete ou oito Papas, é que poderiam ser contados esses mesmos como sendo"Reis" e não somente Papas.

Proceder significa também: Dar sequência; prosseguir. Possuir certo comportamento; ter determinada maneira de se portar. Ou ainda, ter sentido ou cabimento. Fazer alguma coisa, praticá-la. Ocasionar a entrega, geralmente de algo ou alguém. Maneira de se portar ou de agir; procedimento.

Sinônimos de proceder: avançar, continuar, progredir, prosseguir e seguir.

CONCLUSÃO

A metáfora ou simbologia da Besta do Apocalipse, a qual recebeu todo o Poderio, Autoridade e o Reino do Dragão (cujo Reino é o Reino do Mundo), é O Anticristo em pessoa, e o Falso Profeta da Besta, isto é, o Falso Profeta do Anticristo, é uma característica própria do Anticristo, encarnado na Besta Escarlata que é o Oitavo Rei.

Quando a profecia do capítulo 17 do Apocalipse diz que esse oitavo rei"PROCEDE" dos sete, ela está querendo não só dizer que esse oitavo rei virá na sequencia numérica imediatamente ao sétimo, mas que, o oitavo será, assim como os outros foram, um Rei e, supostamente também um Papa, como os outros, mas, não só exatamente um Papa, mas. a própria Besta Cor de Escarlata encarnada num Papa, que na verdade será O Falso Profeta encarnado da Besta em si, isto é, do Dragão, O Diabo - Satanás, O Anticristo em pessoa, do qual o Apóstolo Paulo (em II Tessalonicenses cap. 2),  profetizou que viria para enganar e induzir todos ao erro, como o Homem do Pecado, o Filho da Perdição, que se assentará no Templo de Deus, como Deus e querendo parecer Deus, mas, que na verdade é o Anticristo em pessoa, encarnado na figura de um OITAVO PAPA E REI EM ROMA, NO VATICANO, disfarçado na figura de Papa, mas, que na verdade será O ANTIPAPA, O FALSO PROFETA, O ANTICRISTO DO FINAL DOS TEMPOS, pois,como nos revelou o profeta São Malaquias em sua célebre profecia sobre os Papas: 

"Na extrema perseguição à S.R.E. (Sacrae Romanae Ecclesiae - Sagrada Igreja Romana), reinará Pedro Romano, que apascentará suas ovelhas (seus fiéis) entre muitas tribulações, passadas as quais, a cidade das sete colinas(Roma) será destruída, e o  juiz tremendo (Deus) julgará o seu povo. Fim."

O Monge de Pádua acrescentou à última profecia de São Malaquias acerca do último Papa de Deus Verdadeiro (o sétimo Papa e Rei em Roma), antes da vinda de O Anticristo em pessoa como um oitavo rei:

"Na suprema desolação do mundo, reinará Pedro Romano, último Pontífice de Deus verdadeiro. Roma criminosa será destruída e o Juiz tremendo julgará, triunfante, todos os povos."

O Monge de Pádua fez uma profecia sobre os últimos 20 Papas e sobre o último deles, disse:

"Ele chegará a Roma de uma terra distante para encontrar tribulação e morte."

*As profecias do Monge de Pádua e de São Malaquias acima, dizem respeito ao atual Papa Francisco, que é o sétimo rei da profecia do capítulo 17 do Apocalipse, pois, o Papa Francisco chegou a Roma de uma terra distante de Roma (ele veio de Buenos Aires - Argentina, e como ele mesmo disse: Foram buscar um Papa quase no "Fim do Mundo !")

O Cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, adotou o nome papal de Francisco em homenagem à São Francisco de Assis, o santo italiano cujo nome de batismo verdadeiro era Giovanni di Pietro (Pedro) di Bernardone, e, é assim que, portanto, o Papa Francisco tem haver com o "Petrus Romanus"da profecia de São Malaquias. Por outro lado o nome Francisco 
de Assis 
(nome usado por São Francisco) foi um pseudônimo de Giovanni Di Pietro, dado por seu pai em homenagem a sua mãe que era francesa. O sobrenome "de Assis", era usado porque São Francisco nasceu e morou na cidade italiana de Assis.

 Giovanni di Pietro ou João de Pedro (São Francisco de Assis), era cidadão"Romano" 
(Romanus)
", porque vivia na Itália na época em que o território italiano fazia parte do antigo Sacro império Romano-Germânico fundado por Carlos Magno. Francisco ou Francesco em italiano significa "Pequeno Francês", e o profeta francês Nostradamus profetizou acerca de um Papa"francês". Daí porque São Malaquias relacionou o Papa Francisco ao epíteto latino "Petrus Romanus" na sua profecia sobre o último Papa de Deus verdadeiro, pois, o próximo Papa e Rei (O Oitavo, segundo a sequência de papas desde Pio XII), não será um Papa verdadeiro, mas, o príncipe da mentira encarnado num Antipapa.

O Oitavo Rei (Besta Cor de Escarlata), será ele O Anticristo em pessoa (O Falso Profeta ou Antipapa do Papado de Roma, Papado que já foi identificado como a primeira Besta do capítulo 13 do Apocalipse). Esse oitavo rei,  encarnará na figura de um homem que estará sob a influência de Satanás (o Dragão ou Diabo, conforme nos revelou o capítulo 12 do Apocalipse), que formará um novo reino romano que será apoiado por dez reinos (10 chifres)baseados em 10 nações oriundas da queda do antigo Império Romano.

O Reino Mundial de O Anticristo, virá no fim de três anos e meio à contar do inicio do Papado do Papa Francisco, e o tempo do seu reinado será igualmente de três anos e meio, um tempo, tempos e metade de um tempo(conforme Daniel 9: 27), 1260 dias ou 42 meses (conforme Apocalipse 11, 12 e 13), depois dos quais, será destruído pela triunfal e gloriosa Segunda Vinda de Jesus, no fim da Grande Atribulação Mundial de 7 anos, após a qual, será instituído o Reino Milenar de Deus e do seu Cristo Jesus.






A PROFECIA DOS PAPAS DA MONJA DE DRESDEN
A chamada Monja de Dresden, foi uma religiosa católica que viveu por volta de 1680 à 1706, num convento de Dresden na Alemanha. O Espírito Santo lhe concedeu o dom da profecia. 
Ela foi capaz de prever a própria morte.Teve várias visões que deixou em muitas mensagens proféticas.
O texto abaixo diz respeito ao Papado do Papa Clemente XI em 1703. A profecia DA Monja de Dresden referente aos papas, vai do Papa Leão XIII, até o atual Papa Francisco, e faz parte de uma carta que ela enviou em 1703 ao, então, papa Clemente XI:
"À Clemente XI, Vigário na Terra de Nosso Senhor:
Jesus, nosso Salvador, quis 
um novo Francisco
 
(Clemente XI, cujo nome era Giovanni "Francesco" (Francisco) Albani) 
à sua mesa, porque toda Igreja necessitava ser lavada e purificada; faz ó novo Pastor, com que a tua tiara seja a pobreza e o manto a humildade.
Não estenda jamais a mão para a mão que tenha maldade. O teu papado será santo e terá o número invertido dos apóstolos (12 ao contrário: alusão aos 21 anos de duração do papado de Clemente XI), e depois de ti descerá do Céu aquele bendito
 (Papa Inocêncio XIII, que sucedeu Clemente XI)
 que selará os tempos
 
e continuará a semeadura. E depois haverá o anjo que encontrará Jesus na terra dos lírios (Papa Bento XIII, que sucedeu Inocêncio XIII), enquanto o lírio morrerá miseravelmente no meio das águas. 
Mas, o último carro (Papado) será o mais pesado, será puxado pelos cavalos do Apocalipse aos pares e atingirá a montanha onde estarão a esperá-los os três anjos da guarda do Vale de Josafá (Vale de Cedron, próximo a Jerusalém. Os 3 Anjos do Vale de Josafá são os 3 últimos Papas: João Paulo II, Bento XVI e o Papa Francisco), a esses anjos serão entregues as chaves de Pedro. Assim será fechada para sempre a casa milenar, sobre a qual triunfará o justo (Jesus Cristo) que sobre o calvário derramou seu sangue preciosíssimo.

Vejo os cavalos do último carro e o cocheiro que já enlouqueceu. Vejo os cavalos, um por um e o lugar deles é o seguinte:


Cavalo branco com o sinal do leão (Leão XIII)
Cavalo preto com o sinal da piedade (Pio X)
Cavalo amarelo com o sinal da benção (Bento XV)
Cavalo vermelho com o sinal da piedade (Pio XI)
Cavalo amarelo com o sinal da piedade (Pio XII)
Cavalo vermelho com o sinal do precursor (João XXIII)
Cavalo preto com o sinal de Benjamin (Paulo VI)
Cavalo branco com o sinal da piedade (João Paulo I)

Anjo Meste de Josafá com o sinal dos Doze (João Paulo II)
Anjo Guia de Josafá com o sinal da Glória (Bento XVI)
Anjo da Piedade com o sinal do Martírio (Francisco)

É o que viram os meus olhos e a voz do Vale de Cedron revelou-me coisas terríveis.

A idade do Nosso Salvador (Jesus Cristo) se fechará sobre a Terra no fim do nosso milênio (no fim dos 2000 anos da morte de Jesus Cristo),
depois haverá o milênio do Êxtase do Espírito Santo 
(O Reino dos mil anos de Cristo, após se completar os 2000 anos da morte de Jesus, conforme nos revelou o profeta João em Apocalipse)
.

Três são os últimos anos do pântano: 1914 (início da primeira guerra mundial), 1942 (ápice da segunda guerra mundial) e 1981 (ano do grave atentado cometido contra a vida do Papa João Paulo II, em 13 de maio de 1981, na praça de São Pedro em Roma).

Três são as chagas (Três Guerras Mundiais) que ensanguentarão a Terra e a última (a Terceira Guerra Mundial) ensanguentará as vestes do Sumo Pontífice (O Papa Francisco).





A PROFECIA DA MONJA DE DRESDEN, SOBRE OS ÚLTIMOS 3 PAPAS:
(religiosa alemã que viveu de 1683 a 1709)

1) Anjo Mestre de Josafá, com o sinal dos Doze: 
"O primeiro Anjo de Josafá aparecerá em Roma após um terremoto pavoroso e será aprisionado."
- Foi o Papa João Paulo II (1978-2005), que apareceu em Roma após o terremoto pavoroso que foi a morte de seu co-antecessor, o Papa Paulo VI e a súbita morte súbita de seu antecessor, o Papa João Paulo I,que  ficou apenas 33 dias no Papado 
depois de eleito. João Paulo II foi aprisionado física e espiritualmente por mais de 27 anos, até a sua sofrida morte, dentro dos muros do Vaticano. Foi canonizado São João Paulo II pelo seu sucessor, o Papa Bento XVI.
O sinal dos Doze, é referência aos doze apóstolos de Jesus, e alude ao seu proeminente apostolado, além do que, seu nome papal tem a junção dos
nomes de dois grandes apóstolos de Jesus: João e Paulo.

Haverá carnificina na corte (Papado) e a carnificina dos cortesãos (Bispos e Cardeais), porque irmãos falsos entrarão na Terra com as foices e ceifarão a verdade, Judas (traidor) estará entre eles e portará as insígnias (Brasão com a Cruz e as Chaves de Pedro) de Pedro (São Pedro), assim me disse a voz.
É o que viram os meus olhos. E a voz do vale de Cedron revelou-me coisas terríveis." (Monja de Dresden).

2) Anjo Guia de Josafá, com o sinal da glória: 
"O segundo Anjo de Josafá chegará a Roma para ser trucidado. E o ouro, os poderes e as vestes de César serão dispersados."
- É o Papa Emérito Bento XVI (2005-2013), que não morreu, mas, renunciou ao Papado em 28 de fevereiro de 2013, continuando como Papa Emérito. Portanto, a frase final da profecia da Monja de Dresden para esse Papa:"chegará a Roma para ser trucidado", ainda está por se cumprir. Lembrando que o Papa Emérito Bento XVI, continuará morando no Vaticano (na casa Santa Marta) e continuará vestindo-se de branco e continuará sendo chamado de Papa. 

Quanto ao restante da frase que diz: "E o ouro, os poderes e as vestes de César serão dispersados", diz respeito à dispersão e ao fim, tanto das riquezas(ouro) quanto dos poderes do Papa (comparado à César - Rei de Roma) ou Rei em Roma.

- Significado de trucidado: Matar barbaramente ou com crueldade. Degolar. Sinônimos de Trucidado: assassinado, chacinado, fuzilado, massacrado, morto. Trucidar no sentido figurado, é causar o fim de; exterminar, destruir, esmagar (No caso aqui, isso se aplica ao Papa Bento XVI, cujo destino ainda não foi cumprido).

- O Sinal da Glória é o mesmo a que aludiu São Malaquias em sua célebre profecia dos Papas, que ao Papa Bento XVI foi atribuída o lema em Latim: De Glória Olivae ou Da Glória da Oliveira, que é não só uma referência a Ordem de São Bento ou Ordem Olivetana, como também uma alusão a futura Glória que a Igreja desfrutará na Terra Santa, em Jerusalém, pois, Israel e Jerusalém é chamada de a Glória da Oliveira do Senhor.

Coincidência ou não, mas, o fato é que, curiosamente, o dia e o mês do nascimento de Josef Alois Ratzinger, o Papa Bento XVI, foi em 16 de abril, o mesmo dia do mês em que é comemorado o dia da festa de São Benedito ou São Bento.

3) Anjo da Piedade, com o sinal do Martírio:
"É o que viram os meus olhos. E a voz do vale de Cedron revelou-me coisas terríveis."
- É o atual Papa Francisco, eleito em 13 de março de 2013.
- O Vale do Cedron é um vale próximo de Jerusal
ém, que alude ao Vale de Josafá ou Josaphat, que em hebraico significa: "O Vale onde Deus vai Julgar, o Vale do Julgamento ou Vale do Juízo de Deus". 
- Bento XVI é o Papa que guiará (Conduzirá) a Igreja e o seu sucessor, o Papa Francisco, até o Vale do Juízo ou Vale de Josafá, em Jerusalém, para o Grande Julgamento de Deus, pois, Bento XVI é aquele que coroará a Igreja com a Glória da Oliveira, a Glória de Israel em Jerusalém.

- Significado de Martírio:
Morte, tormentos sofridos pela fé.
Grande dor física.

Grande sofrimento moral. 

Aflição, agonia, angústia, aperto, apertura, tormento, tortura e tribulação.

- O Sinal do Martírio, tem haver com a frase e com o nome em latim "Petrus Romanus", que São Malaquias em sua profecia sobre os papas, deu para esse último Papa (Francisco), que remete ao martírio sofrido pelo Apóstolo Pedro(São Pedro), que foi torturado e crucificado até a morte.
  

- O Cardeal Argentino Mário Jorge Bergoglio, Arcebispo de Buenos Aires, que adotou o nome papal de Francisco, pertence a Companhia de Jesus(conhecida como Jesuítas), fez voto de pobreza, anda de transporte coletivo e cozinha suas próprias refeições, sendo um homem extremamente humilde e simples.


O Monge de Pádua, fez a seguinte profecia a respeito do Papa Francisco:

 "Ele chegará a Roma de uma terra distante para encontrar tribulação e morte"

 *Agora já sabemos que o Papa Francisco veio mesmo de uma terra distante (Da Argentina, do extremo sul da América do Sul): 

"Os Cardeais do Conclave foram buscar um Papa no fim do mundo", como disse o próprio Papa Francisco em seu discurso de apresentação ao povo na praça de São Pedro em Roma no dia 13 de março de 2013.

Mas, o final da profecia do Monge de Pádua acima, também prevê a morte do Papa Francisco depois de muita tribulação.

*Agora ficou também, muito claro e objetivo, o que São Malaquias quis nos dizer em sua última profecia relativa ao sucessor do Papa Bento XVI.

 Disse São Malaquias a respeito do sucessor do Papa Bento XVI: 
“Na extrema perseguição da Igreja Romana sentará (no Sólio, isto é na Cátedra ou Cadeira Pontifícia de São Pedro) Pedro Romano, que apascentará suas ovelhas entre múltiplas tribulações: as quais transcorridas, a cidade das sete colinas (Roma) será destruída e o Juiz tremendo (Deus) julgará o povo e então será o Fim.”


O Monge de Pádua completou a frase de São Malaquias, dizendo:

 “Na suprema desolação do mundo, reinará Pedro Romano, último Pontífice de Deus verdadeiro. Roma criminosa será destruída e o Juiz tremendo julgará, triunfante, todos os povos.”

* O Papa Francisco escolheu o nome papal Francisco em homenagem à São Francisco de Assis, que é o Padroeiro da Itália. 

* Mas, o que quase ninguém sabe, é que São Francisco não se chamava Francisco. Seu nome verdadeiro era 
Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis.

"Giovanni di "Pietro" di Bernardone"


*Em "Pietro", o segundo nome de São Francisco de Assis, está a estreita relação com a divisa em latim "Petrus Romanus" que está embutida na última e extensa frase em latim da profecia de São Malaquias, pois, todas as  outras legendas dos Papas anteriores, só puderam ser relacionadas com os respectivos nomes Papais, depois desses terem sido eleitos, e com o Papa Francisco não poderia ter sido diferente, pois, o Papa Francisco escolheu esse nome, com certeza, sem atentar para o fato de o nome verdadeiro de São Francisco de Assis conter o nome Pietro (Pedro), dando margem assim ao inexorável cumprimento da profecia de São Malaquias em sua total extensão e consequências proféticas.

*Isso mostra que não se pode driblar o que foi profetizado e é a prova mais contundente de que as profecias de São Malaquias acerca dos Papas não é uma fraude como muitos já disseram e como muitos estão a dizer depois da eleição do Papa Francisco, que supostamente, para os desatentos e descrentes, não se cumpriu devido ao Papa Francisco não se chamar Pedro ou Pedro II, sendo que agora, está mais do que provada a relação do nome verdadeiro de São Francisco de Assis, a saber, Giovanni Di Pietro, com a divisa latina de São Malaquias relacionada ao Papa Francisco.




O PAPA FRANCISCO É 
PETRUS !
MAS, PORQUÊ "ROMANUS" ?

Como já sabemos, tanto o termo "Romano" (Romanus) quanto o nome próprio "Pedro" (Petrus) tem haver com o "Papa Francisco" e  seu nome papal, escolhido para homenagear "São Francisco de Assis", um santo italiano da idade média, que viveu na cidade de Assis,  na época em que a Itália, fazia parte do então, antigo Sacro Império Romano-Germânico, fundado pelo imperador Carlos Magno.

A Profecia, que estava por ser cumprida e a sorte do novo Papa,  oficialmente estava por ser lançada com a renúncia do Papa Bento 16 em 28 de fevereiro de 2013.

Petrus Romanus et Franciscum PP. (em homenagem à São Francisco de Assis, cujo nome era Giovanni Di "Pietro" (Pedro ou Petrus) di Bernardone), cidadão Romano (Romanus) do Sacro Império Romano-Germânico

Sacro Império Romano-Germânico

De 962 à 1806

São Francisco também podia ser considerado Romano, já que nasceu na Itália, em 1182, na época em que o território italiano ainda fazia parte do Sacro Império Romano-Germânico.


As fronteiras do Sacro Império Romano-Germânico entre os anos de 962 à 1806, sobre as fronteiras da Europa moderna foram sucedidas por:

Reino da Germânia

Reino Itálico

Antiga Confederação Helvética
República das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos

Confederação do Reno
Império Austríaco
Primeiro Império Francês

Reino da Prússia

O Sacro Império Romano-Germânico (em latim Sacrum Romanum Imperium) foi a união de territórios da Europa Central durante a Idade Média, durante toda a Idade Moderna e o início da Idade Contemporânea, sob a autoridade do Sacro Imperador Romano. 

Embora Carlos Magno seja considerado o primeiro Sacro Imperador Romano, coroado em 25 de dezembro de 800, a linha contínua de imperadores começou apenas com Oto, o Grande em 962. O último imperador foi Francisco II, que abdicou e dissolveu o império em 1806 durante as Guerras Napoleônicas. A partir do século XV, este Estado era conhecido oficialmente como o Sacro Império Romano da Nação Germânica.

A extensão territorial do império variou durante sua história, mas no seu ápice englobou os territórios dos modernos Estados da Alemanha, Áustria, Suíça, Liechtenstein, Luxemburgo, República Tcheca, Eslovênia, Bélgica, Países Baixos e grande parte da Polônia, França e Itália.

Nota de O profeta Mundial: Portanto, em pertencendo a Itália naquele tempo, ao Sacro Império Romano-Germânico, na época em que nasceu e viveu São Francisco de Assis, este Santo Italiano, cujo nome verdadeiro era "Giovanni di "Pietro" (Pedro ou Petrus) di Bernardone, era considerado "Romano" (Romanus), ou simplesmente, "Petrus Romanus". Isso explica o fato de o atual Papa Francisco estar relacionado ao epíteto latino "Petrus Romanus", relacionado à última profecia de São Malaquias referente ao último Papa de sua lista profética, que é como ele mesmo disse, o último Pontífice de Deus verdadeiro que guiará suas ovelhas (fiéis) em meio a muitas tribulações, depois das quais, a cidade das sete colinas (Roma) será destruída, quando o povo será submetido ao julgamento de Deus, depois do que, virá "o Fim".






"A PROFECIA DE SÃO MALAQUIAS"


O ÚLTIMO PAPA:

(PEDRO ROMANO !) 



O CONCLAVE 2013:


"Haverá um Grande Cisma na Igreja Católica e dois Papas: 

"Um Papa legítimo e Verdadeiro (O atual Papa Francisco) e um Herético e Falso Papa (O Antipapa que surgirá ainda no pontificado do Papa Francisco e se oporá a ele)."

"Um vestirá branco (o Papa Francisco) e o outro vestirá vermelho (O Antipapa) !"

O PAPA BENTO XVI NÃO MORREU!, ESTÁ VIVO!, E SENDO ASSIM, ELE CONTINUA SENDO UM PAPA LEGÍTIMO!

É CERTO E EMINENTE; SEGUNDO AS PROFECIAS; QUE SE PRODUZIRÁ UM GRANDE CISMA NA IGREJA C
ATÓLICA !




*CLIQUE NO LINK ABAIXO E SAIBA 
A VERDADE  SOBRE A IGREJA 
CATÓLICA E O GRANDE CISMA DE 
2013 !:

A IGREJA CATÓLICA E O GRANDE CISMA !




O GRANDE E ÚLTIMO AVISO

Quando será este AVISO?

Se é verdade que em toda a Escritura vemos que em termos de datas ninguém sabe - mas somente o Pai - apenas como um meio saudável e eficiente de sempre estar preparado em todos os momentos pelo tempo que pedir contas ao Senhor, é igualmente verdade que o mesmo Jesus Cristo nos convida a estar atentos aos sinais que anunciam a abordagem de certas profecias. 

Assim, lemos em Lucas XII, 56: 

"Hipócritas, discernir sei que o tempo vai fazer para o aspecto do céu, por que não conhecer os sinais dos tempos?".

Neste sentido, o Sagrado Coração de Jesus diz a Vassula:

"Meu plano tem um tempo. Minhas chamadas também são um tempo gracioso. Depois de ter terminado o tempo da misericórdia, mostrarei a todos, bons e maus, que a minha gravidade é tão grande quanto a Minha Misericórdia. Todas as coisas previstas por mim vão passar rapidamente agora. "

Assim, é errado pensar que ninguém sabe quando os eventos vão ocorrer e não há maneira de se aproximar a data de conclusão possível. Nas Escrituras, tanto do Antigo Testamento e do Novo, encontramos citações inúmeras que se referem a um tempo específico, uma medida de tempo estabelecido por Deus para ter a plena conformidade, como o Senhor tem inspirado e dado algum conhecimento para saber quando as coisas que ele previu acontecem. Então, ele diz através do que o anjo Gabriel disse a Daniel: "Olha, eu vou mostrar-te o que vai acontecer no final da Ira, porque o fim é fixo." (DANIEL VIII, 19).
 Depois disso, os tempos são fixos e confirmamos os seus sinais de proximidade.

Como mencionado anteriormente, o Aviso de Fim dos Tempos é o evento que termina numa série de sinais e símbolos tardios de sensação dramática, alguns muito visíveis como foram os que ocorreram nos ataques em Nova York em 11 de Setembro de 2001, o de Madrid em Março de 2004 e o de Londres em junho de 2005. Da mesma forma, o aviso será também o início de outros grandes e desconhecidos sinais que ocorrem no mundo, como parte do período marcado pelo fim dos tempos.

Tempo de caos e confusão

No entanto, tal como resulta das várias revelações que a Santíssima Virgem tem feito em vários lugares, particularmente em Garabandal, onde tem falado pouco sobre o aviso, o qual, antes de acontecer, a situação da Igreja será muito ruim e vai acontecer um evento que vai ser doloroso e de partir o coração. Na verdade, Serafin, o irmão mais velho de Conchita Gonzalez, a vidente de Garabandal, diz que ouviu sua irmã durante um êxtase anunciar que o aviso viria "depois uma lágrima dolorosa da Igreja", uma espécie de "cisma". Assim, a notificação ou aviso será um contraponto, um mistério doloroso para a Igreja.

Da mesma forma, Mari Loli, uma das quatro meninas de Garabandal, também disse que "o Papa não poderia estar em Roma publicamente ... Ele também iria se assombrar e teria que se esconder como todo mundo. E isso poderia ocorrer pouco antes do Aviso. Lembre-se da visão do Papa Pio X, que já foi mencionada no capítulo sobre Fátima, referente à fuga de um Papa de Roma sobre os corpos de seus sacerdotes.

Esta visão de São Pio X é muito semelhante à visão de Lúcia, que anunciou a Hierarquia da Igreja, como sendo o segredo da suposta terceira mensagem de Fátima, em que "o Santo Padre passava por uma cidade meio em ruínas, e meio trémulo, com o passo hesitante, acabrunhado de dor e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho". 

Nesse mesmo sentido, é esclarecedora a mensagem da Virgem Santa, que teve a visionária Sadie Jaramillo, em 21 de agosto de 1998, em comparação ao que vai ocorrer quando do anúncio. Disse a Virgem à ela:

"Essas visões são para você entender o cumprimento das palavras que eu lhe dei e muitos outros, que em breve, nos termos que você entende esta palavra, a iluminação de sua consciência e do estado de sua alma irá ocorrer. Eu não disse a você que este grande evento viria no meio de um grande caos e confusão?".

Uma revolução em Roma virá anexada a uma "vitória do comunismo", e essa visão é muito comum em mensagens de muitos videntes. Na verdade, a Santíssima Virgem em Garabandal profetizou sobre ele e por isso Jacinta Gonzalez, em agosto de 1989, como já discutido acima, afirmou que "o aviso está ligado a uma invasão em Roma, na qual, o comunismo desempenhará um papel importante. E que esses eventos ocorreriam antes do Aviso, que ocorrerá quando a situação estiver no seu pior." 

Finalmente, uma vez que ocorreu a morte de João Paulo II, a eleição de Bento XVI e a sua renúncia em fevereiro de 2013, as profecias ficaram mais claras em sua compreensão e implementação. Neste sentido, o anúncio ou aviso não deverá ocorrer até ocorrem os seguintes eventos:

1) Crise global identificada pelo caos econômico e guerra mundial iminente(eventos iminentes que já estão às portas).

2) Aumento no número e intensidade de catástrofes (terremotos, tsunamis, erupções vulcânicas, epidemias (que já vem ocorrendo há alguns anos e tendem a aumentar agora).

O Cisma da Igreja

3) Uma revolução violenta em Roma, com muito derramamento de sangue, como resultado disto, o Santo Padre é forçado a fugir da Cidade Eterna.

4) Proclamação do dogma da redenção Co-Mariano pelo Papa.

Como o leitor perceberá, o Grande Aviso de Deus será o mais recente, em uma série de "avisos", que já começaram e terão mais força e dureza, trazendo centenas de milhares de vítimas.

Assim, enquanto este evento já está perto, a humanidade deve passar por grande e determinado sofrimento político, econômico, histórico, religioso, social e natural. 
O Aviso Grande será a última de uma série de advertências anteriores e o primeiro de uma série de grandes eventos que levarão ao reino do Anticristo e a Grande Tribulação.

No campo da Igreja, deve primeiro terminar o pontificado de Bento XVI (Já terminou oficialmente com a renúncia de Bento 16 em 28 de fevereiro de 2013), só então, sem dúvida, será visível para todo o mundo o choque de dois papas (Bento 16 - O Papa Emérito Vivo e o Papa Petrus - O Papa eleito no conclave de Março de 2013). 

Pouco tempo depois, o efeito de uma escalada militar no Oriente Médio e um choque de civilizações estará tomando lugar com um ataque árabe-comunista na Europa, particularmente na Itália, em cuja revolução, o Santo Padre (Pedro Romano) terá de fugir de Roma. 

O aviso está ligado a um acontecimento doloroso para a Igreja, e esse evento não será outro, senão um desolador e Grande Cisma. Além disso, o aviso não vai aparecer com o Papa, na visão de São Pio X , que é como a visão do Segredo de Fátima, que revelam que o Papa terá que fugir de Roma sobre os corpos dos seus sacerdotes. 

Assim, o aviso virá no meio do grande caos e confusão. Tudo isso é confirmado por muitos videntes sérios e autênticos. 

Outro fato que passa desapercebido para muitos, é que, uma vez que venha o Grande Cisma da Igreja e apareçam dois papas (Um Legítimo e um Antipapa), uma das linhas principais da autenticidade, é que o Papa legítimo e verdadeiro irá juntar-se a Eucaristia e Maria, e justamente num momento de grande confusão para a Igreja, pois, o Papa realmente proclamará Maria como Co-redentora. Isso ocorrerá pouco antes do aviso prévio.

Em 1990, um médium, no Colorado, EUA, chamado T. Lopez, recebeu uma mensagem da Virgem do momento de silêncio, em que seria revelado dentro de nós, e que acontecerá quando for proclamado seu último título (o último Papa dos tempos).

http://profeciasyrevelaciones.blogspot.com.br/2010/12/que-sera-el-aviso-universal.html?spref=bl



*CLIQUE NO LINK ABAIXO E SAIBA 
A VERDADE  SOBRE A IGREJA 
CATÓLICA E O GRANDE CISMA DE 
2013 !:

A IGREJA CATÓLICA E O GRANDE CISMA !








TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

*É PERMITIDA A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESSA OBRA, DE TODA E QUAISQUER PÁGINAS, SUB-PÁGINAS, LINKS  OU PUBLICAÇÕES DESSE SITE, DESDE QUE CITADA A FONTE


BY THE WORLD PROPHET - O PROFETA MUNDIAL


O PAPA PIO X PROFETIZOU A FUGA E A MORTE DO PAPA BENTO XVI DE ROMA E DO VATICANO

Uma pesquisa mais apurada sobre as visões do Papa Pio X, revela-nos uma interpretação mais acertada acerca dessa tão reveladora profecia:

O Papa Pio X teve uma aterrorizante visão onde viu um sucessor seu com o mesmo nome (Giuseppe ou José) voando sobre Roma, acima dos corpos de padres mortos e perto do fim dos tempos. 

A Visão de Pio X:

"O que vi foi aterrorizante!, Será ele único, ou será um sucessor?, O que é certo é que o Papa deixará Roma e, deixando o Vaticano, deverá passar sobre os cadáveres de seus padres!, Não digam nada disso para ninguém enquanto eu estiver vivo."

Numa segunda visão, durante uma audiência com a ordem Franciscana em 1909, o Papa Pio X pareceu ter entrado em transe. Depois de alguns momentos, ele abriu seus olhos e se levantou anunciando:

"Vi um de meus sucessores, de mesmo nome (Giuseppe ou José), que voava sobre os cadáveres de seus irmãos. Ele se refugiará em algum lugar secreto; mas depois de um breve descanso, sofrerá uma morte cruel. O respeito a Deus desapareceu dos corações humanos. Eles até mesmo desejam apagar a memória de Deus. Essa perversidade nada mais é do que o início dos últimos dias do mundo."

O Papa da visão de Pio X, é sem sombra de dúvidas, o Papa Emérito Bento XVI, que renunciou em 28 de fevereiro de 2013 e, à partir dessa data, passou a viver na residência de verão de Castel Gandolfo, que fica à 30 km do Vaticano. Bento XVI deve ficar lá por 2 meses (Até o fim de Abril de 2013), quando então, voltará para dentro dos muros do Vaticano, para ficar recluso (enclausurado) na residência chamada Santa Marta. 

O que identifica o Papa Bento XVI, como um dos sucessores de mesmo nome, que viu o Papa Pio X, cujo nome de batismo era Giuseppe (José em italiano), é que o Papa Bento XVI, também chama-se José (Joseph em alemão), ou seja, o Papa Bento XVI tem o mesmo nome do Papa Pio 
X.
 
Um outro detalhe importante da visão de Pio X, é quando ele diz que viu esse Papa voando sobre os cadáveres de seus irmãos, o que, obviamente quer dizer que o Papa Pio X viu o Papa Emérito Bento XVI, literalmente voando por sobre o Vaticano de Helicóptero (no Papacóptero branco), onde lá de cima, avistava os cadáveres de seus irmãos padres, bispos e cardeais mortos em Roma, no Vaticano e na praça de São Pedro em Roma.

A parte final dessa terrível visão de Pio X sobre o Papa Bento XVI, é o trágico destino que o espera depois da sua fuga do Vaticano: uma Morte cruel.





"A PROFECIA DE SÃO MALAQUIAS"


“In persecutione extrema S.R.E. sedebit Petrus Romanus
qui pascet oves in multis tribulationibus: quibus transactis civitas septicollis diruetur, Iudex tremendus iudicabit populum. Finis.”

Tradução:

“Na extrema perseguição da Igreja Romana, sentará Pedro Romano, que apascentará suas ovelhas entre múltiplas tribulações: as quais transcorridas, a cidade das sete colinas será destruída e o Juiz tremendo julgará o povo e então será o Fim.”


O Monge de Pádua acrescentou:
"Na suprema desolação do mundo, reinará Pedro Romano, último Pontífice de Deus verdadeiro! Roma criminosa será destruída e o juiz tremendo julgará triunfante todos os povos."




"O JUDAS CHAMADO PEDRO NO VATICANO"

O CARDEAL TARCISIO "PIETRO" (PEDRO) BERTONE, ATUAL CAMERLENGO E SEGUNDO EM PODER NO VATICANO DEPOIS DO PAPA BENTO XVI, VISTO QUE ELE TAMBÉM TEM "PEDRO" NO NOME, ALÉM DE UM PEQUENO DETALHE: ELE NASCEU NUMA CIDADE DA ITÁLIA CHAMADA "ROMANO" CANAVESE, SENDO QUE, SÃO MALAQUIAS, EM SUA PROFECIA SOBRE OS PAPAS, ATRIBUIU A ELE O NOME: PETRUS ROMANUS OU PEDRO ROMANO

EM RELAÇÃO A PROFECIA COMO UM TODO, E QUE ESTÁ INTIMAMENTE LIGADA A PROFECIA DO APOCALIPSE CAP. 13 VERS. 11 À 18, É QUE O CARDEAL TARCISIO PIETRO BERTONE, LEVA EM SEU BRASÃO CARDINALÍCIO A CRUZ DE CONSTANTINO, QUE É USADA PARA REPRESENTAR O PAPADO DE SÃO PEDRO E QUE SEGUNDO O APOCALIPSE CAP. 13, É O SINAL QUE SERÁ USADO PELO FALSO PROFETA DA BESTA - QUE, ALIÁS, É O PAPA.

VEJA ABAIXO A CRUZ DE CONSTANTINO OU CRISTOGRAMA E TAMBÉM O BRASÃO CARDINALÍCIO DE TARCISIO PIETRO BERTONE:

Brasão Cardinalício do Cardeal Tarcisio Pietro Evasio Bertone - Camerlengo do Papa Bento XVI, onde pode-se observar o Cristograma, simbolizando a Cruz do Papado de São Pedro
Cruz de Constantino ou Cristograma - Cruz do Papado de São Pedro
*OUTRO DETALHE, É A TIARA OU MITRA QUE O CARDEAL BERTONE USA, ONDE PODE-SE NOTAR A FIGURA DE UM PEQUENO CORDEIRO, SÍMBOLO DE JESUS CRISTO. VEJA ABAIXO:

Cardeal Tarcisio "Pietro" (Pedro) Bertoni e a mitra com o pequeno cordeiro estampado
A PROFECIA DO APOCALIPSE CAP. 13 VERS. 11, DIZ O SEGUINTE:
"E vi subir da terra outra besta, (O PAPA) e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão."
 O cordeiro é símbolo de Jesus Cristo, que é o Cordeiro de Deus e o dragão é símbolo do diabo.
Portanto, existe a possibilidade do Conclave que irá escolher o próximo Papa - o sucessor de Bento 16 -; eleger um Cardeal italiano para se sentar na Cadeira de São Pedro, pois, essa hipótese não está totalmente descartada, porque a renúncia de Bento 16 tem haver com as disputas políticas pelo poder dentro do Vaticano e nessa guerra interna pelo poder, entre o Cardeal Angelo Sodano e o Cardeal Tarcisio Bertone, Bertone leva a melhor por ser o Braço direito e o atual Camerlengo do Papa, além de toda a riqueza de detalhes proféticos que envolve o nome e a origem do Cardeal Bertone.





*O último Papa da Profecia, se sentará na Cadeira de São Pedro de 2013 à 2016, período que será o início e o fim dos primeiros 3 anos e meio da Grande Atribulação de 7 anos do Mundo, chamada de "O FIM DOS TEMPOS".

"Ele chegará a Roma de uma terra distante", diz o Monge de Pádua.


A Profecia do Monge de Pádua sobre os Papas:

As profecias do Monge de Pádua foram publicadas em Veneza no ano de 1527. A lista do Monge de Pádua é semelhante a das Profecias de São Malaquias. Aos últimos 20 Papas correspondem simples frases. 

Os últimos seis Papas da lista receberam as seguintes frases:

15 - "Homem de grande humanidade que fala francês" 

Foi João XXIII (1958 à 1963), que f
alava Francês e foi núncio apostólico em Paris. Foi conhecido como sendo um homem de grande humanidade.


16 - "A sombra do Anticristo começará a obscurecer a Cidade Eterna" 

Foi Paulo VI (1963 à 1978), que 
disse em 1968 que "a fumaça de Satanás" tinha penetrado na Igreja por alguma fenda.

17 - "O pastor da laguna; seu reinado será tão rápido como a passagem de uma estrela cadente." 

Foi João Paulo I (1978), que 
faleceu 33 dias depois de sua eleição, tendo um pontificado tão rápido quanto a passagem de uma estrela cadente.

18 - "Virá de longe e manchará a pedra com seu sangue" 
Foi João Paulo II (1978 à 2005), que 
veio da Polônia. A maior parte dos Papas até então, tinham sido 
italianos, por isso a frase diz que ele viria de longe. O atentado sofrido por João Paulo II em Maio de 1981, manchou de sangue as pedras do chão da Praça de São Pedro. "Manchou de sangue a pedra", isto é, o Sólio (a Cadeira Pontifícia), a Cadeira de Pedro ou o Trono de São Pedro - A Pedra.

19 - "Semeador de paz e de esperança em um mundo que vive suas últimas esperanças"

Bento XVI (2005 à 2013), é chamado de a Glória da Oliveira (símbolo da esperança), na profecia de São Malaquias.
O Papa Bento 16, veio numa época em que o mundo, sedento de Paz e Esperança, está sofrendo 
grandes convulsões e às portas de grandes atribulações, e verdadeiramente parece estar vivendo suas últimas esperanças de Paz
.

20 - "Ele chegará a Roma de uma terra distante para encontrar tribulação e morte"


*Com esse último Papa, começam os últimos 7 anos da Grande Atribulação do mundo, o Fim dos Tempos ou Fim dos Anos, antes do Derradeiro Fim.

O último Papa
 ficará no Papado por apenas 3 anos e meio, depois do que, virá O Anticristo para reinar nos últimos 3 anos e meio do mundo.





Papa Bento 16 anuncia renúncia

11/02/2013

*O papa Bento 16 anunciou em 11/02/2013, que deixará o comando da Igreja Católica no dia 28 de fevereiro.

11 DE FEVEREIRO:
COINCIDÊNCIA OU PROFECIA ?
*Curiosamente, foi nesta mesma data (11 de Fevereiro), à 84 anos atrás, que a independência do Vaticano foi reconhecida, exatamente em11 de fevereiro de 1929, por meio do Tratado de São João Latrão ou simplesmente Tratado de Latrão, assinado pelo então, ditador fascista Benito Mussolini e a Santa Sé, representada pelo cardeal Pietro Gasparri, secretário de Estado do papa Pio XI. O Tratado de Latrão formalizou a existência do Estado do Vaticano (cidade do Vaticano, palácio de Castelgandolfo e as três basílicas patriarcais de São João de Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo Extramuros) como um Estado soberano, neutro e inviolável, sob a autoridade do Papa, que a partir daí passou a ser considerado Chefe de Estado e também Rei em Roma. Por outro lado, a Igreja Católica renunciava aos territórios que havia possuído na Idade Média e reconhecia Roma como capital da Itália.
Também, por uma coincidência espantosa, a irmã Lúcia de Jesus  Santos, protagonista das aparições em Fátima, Portugal - 1917, morreu em 2005 num dia 11 de fevereiro.

A terceira parte do segredo de Fátima, dado a irmã Lúcia e aos seus dois primos menores, foi revelado no ano 2000, pelo então, ainda Cardeal Joseph Ratzinger (atual Papa Bento 16), e fala de:

"Um Bispo vestido de Branco, o qual "tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre". Vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas, subindo uma escabrosa montanha, no cimo da qual, estava uma grande Cruz de troncos toscos, como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas (Roma), e meio trêmulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz,  (O Santo Padre - O Papa) foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás dos outros, os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas..."

*O papa Bento 16 anunciou em 11/02/2013, que deixará o comando da Igreja Católica no dia 28 de fevereiro.

Profecia ou Coincidência ?
 "28 de fevereiro: Exatamente neste dia, se comemora o dia de "São Romanus" no calendário da Igreja Católica". 






A Profecia sobre os Papas em Garabandal - Espanha:


Em San Sebastian de Garabandal, na Espanha, a Virgem Maria disse a Conchita Gonzalez nos idos de 1960, que:

"Depois do Papa João XXIII, viriam mais três Papas".

As aparições de San Sebastian de Garabandal, na Espanha, foram precedidas, à partir de 1961, pelo anúncio do anjo Miguel à quatro meninas videntes: 

Conchita Gonzalez, Mari Cruz González, Jacinta e Mari Loli Mazon Gonzalez. 

Dois anos após a primeira aparição; em junho de 1963; enquanto os sinos tocavam em Garabandal, Conchita, que estava na cozinha com sua mãe, disse: 

"Os sinos estão tocando para os mortos. Certamente pelo Papa, porque à partir de agora não haverá mais do que três papas". (Na verdade, o então, Papa João XXIII tinha acabado de morrer).

A Mãe de Conchita, então perguntou se depois disso viria o fim do mundo, e a menina disse que não o fim do mundo, mas o fim dos tempos. 

"Para mim, foi a Virgem, que me disse": 

" Após este papa, (se referindo ao Papa João XXIII, em 1963) apenas virão mais três, e então virá o fim dos tempos". 

O que foi certo, é que depois da morte do Papa João XXIII, foram já quatro batatas e não três, a saber:  Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II e Bento XVI. O Próximo Papa, se houver um, será já o quinto.

Mas, se foram quatro e não três, os Papas depois de João XXIII, o que a Virgem de Garabandal quis, na verdade, dizer com isso?

No diário de Conchita Gonzalez, na verdade, está assim a profecia: 

 Para mim, foi a Virgem, que me disse: 

" Após este papa, (se referindo ao Papa João XXIII, em 1963) apenas virão mais três, e então virá o fim dos tempos". 

"Não quatro, (mas sim três), porque um deles (o Papa João Paulo I) não conta na realidade, a Virgem Maria disse-me."
(Conchita Gonzalez).


A história nos mostra que o Papa João Paulo I nem chegou a esquentar a cadeira de São Pedro, visto que morreu 33 dias após ser eleito, no Papado mais breve de todos, e que muito embora ele seja sim, considerado como Papa, segundo a Virgem de Garabandal, ele não deve ser contado como tal, pois, que não teve sequer tempo de realizar nenhuma obra em seu breve papado.

Assim sendo, a profecia de Garabandal, revela-nos que, na verdade, apenas mais três Papas viriam (à exceção do Papa João Paulo I) após a morte do Papa João XXIII, a saber: O Papa paulo VI (1963-1978), o Papa João Paulo II (1978-2005) e por último, o papa Bento XVI (2005-2013), e que, depois deles viria, não O Fim do Mundo, mas, "O Fim dos Tempos." 

SE ACREDITARMOS PIAMENTE E LEVARMOS AO PÉ DA LETRA A PROFECIA DE GARABANDAL, ENTÃO, JÁ ESTAMOS OFICIALMENTE NO CHAMADO PERÍODO DO FIM DOS TEMPOS OU FIM DOS ANOS, VISTO QUE, O ÚLTIMO PAPA ANTES DO INÍCIO DO FIM DOS TEMPOS (AO QUAL SE REFERE A PROFECIA DE GARABANDAL - O PAPA BENTO XVI), RENUNCIOU AO PAPADO DE SÃO PEDRO EM 28 DE FEVEREIRO DE 2013.

QUE DEUS E NOSSO SENHOR JESUS CRISTO NOS AJUDE, NOS PROTEJA E NOS GUIE NOS DIAS MUITO DIFÍCEIS QUE VIRÃO PARA A IGREJA E PARA TODO O MUNDO.



A PROFECIA DE A. CASSERT

UM PAPA COM A LETRA "Z" NO NOME:

"Quando subir ao trono de Pedro um papa que levará a letra Z no nome, terá chegado o momento de abrigar-se em casa, porque a tempestade está próxima."

O Papa com a letra "Z" no nome, ao qual o profeta A. Cassert se refere, é  o Papa Bento XVI, cujo nome verdadeiro é: Josef Rat"Z"inger (notem a letra "Z" no nome verdadeiro do Papa Bento XVI).




PROFECIA DE SANTO ANSELMO

Um Papa com a letra "K":

Profecia extraída do livro: Vaticinia Proedictiones Illustrium Virorum, Bertoni, Veneza, 1605 - (M. Servant, página 281).

Santo Anselmo,  
Arcebispo de Cantuária, 1093-1109, 
vaticinou no século XIII: 


Referindo-se a Roma, Santo Anselmo disse:

"Desgraça a ti, cidade das sete colinas, quando a letra K  for louvada entre teus muros. Então tua queda se aproximará, teus governantes e tiranos serão destruídos. Tu tens irritado o Altíssimo por teus crimes e tuas blasfêmias, tu perecerás na derrota e no sangue. "


*A letra “K” corresponde ao "K" de  Karol, o primeiro nome do Papa João Paulo II (Karol Wojtila), que morreu em abril de 2005, e o seu sucessor, o Papa Bento 16, já renunciou ao Papado em fevereiro de 2013. É de se esperar então, para muito breve, o cumprimento da profecia da queda de Roma.

*A cidade das sete colinas é Roma, que está construída exatamente ao redor de sete colinas. Roma também é chamada de A cidade eterna.




A PROFECIA DE FÁTIMA

NOVAS REVELAÇÕES:

A Igreja Católica autorizou a revelação do Terceiro Segredo de Fátima, que menciona que a Terra vai atravessar um momento sem luz - 72 horas ou 3 dias na escuridão total. 

"A Virgem de Fátima", mostra-nos a proximidade da data em que esse fenômeno  ocorrerá, dizendo que:


1) Depois do Papa Pio VI, 12 batatas viriam a seus papas. (o Papa João Paulo II foi o décimo segundo Papa). 

*Sobre o termo "12 Batatas" citado acima, depreende-se o seguinte: Por volta de 1530 a batata chegou na Europa. Durante um século, a igreja católica foi caracterizando a batata como coisa do diabo. Como não se falava nela na Bíblia, diziam que não podia ser coisa de Deus. 

"O que cresce em cima da terra é de Deus e dos homens e o que cresce abaixo da terra é do diabo e dos seus acólitos."

Este era o discurso oficial da igreja católica apostólica romana acerca das batatas. 

Por isso a referência às 12 batatas na profecia acima, que diz respeito ao alimento ou pão do  do diabo (ao invés do alimento ou pão de Deus), que viria à mão de 12 Papas depois do Papa Pio VI. E assim foi, pois, depois de Pio VI, mais 12 Papas vieram, até o décimo segundo Papa que foi João Paulo II.

Mas, o termo "Batatas", pode simplesmente estar se referindo aos Papas como palavra, pois, "Batatas" em espanhol se escreve "Papas" e Papa na Espanha é Batata,  e por essa razão, o designar os Papas por Batatas, pode significar apenas um bem humorado trocadilho e nada mais.


2) O Papa que antecedeu João Paulo II, ou seja, o décimo primeiro Papa, teria um período muito curto no papado. Esse décimo primeiro Papa, depois do Papa Pio VI, foi o Papa João Paulo I, cujo pontificado durou apenas 33 dias.

3) O décimo segundo Papa, depois do Papa Pio VI, teria um longo papado. O Papado de João Paulo II foi de 27 anos, de 1978 à 2005, e foi terceiro papado mais longo da história.

4) O sucessor de João Paulo II, isto é, o Papa Bento 16, fará uma revolução na própria Igreja Católica. 

*Com a recente renúncia do Papa Bento 16, anunciada para 28 de fevereiro de 2013, com certeza inicia-se uma nova era de mudanças e revolução para a igreja católica.


...E Continua a profecia de Fátima:

"Satanás está guiando o mundo, criando ódio e discórdia em todos os lugares. Os homens fazem armas mortais que destruirão o mundo em minutos e metade da humanidade será horrivelmente destruída, a guerra começará contra Roma, haverá conflitos entre ordens religiosas. Deus permitirá que todos os fenômenos naturais, granizo, frio, água, fogo, inundações, terremotos, intempéries, desastres terríveis e invernos extremamente frios, eles vão gradualmente com a Terra, estas coisas de qualquer maneira tem de passar na vizinhança de 2000 (anos). Eles têm agora a oportunidade para aqueles que não acreditam, a Santa Mãe da humanidade lhes fala."

*Entenda-se 2000 anos, nas cercanias do ano 2000, não muito longe do ano 2000, ou seja, entre o ano 2000 e o ano de 2016, sub-entendendo-se que o Papado do sucessor de Bento 16 -  (o próximo Papa - Pedro Romano, como preveem as profecias de São Malaquias e do Monge de Pádua) -, vai durar apenas 3 anos e meio, começando em março de 2013.



A terrível visão do Papa Pio X em 1909

Ele dava uma audiência quando, repentinamente, "adormeceu". Logo em seguida ‘acorda’ angustiado e diz:


- “Tive uma visão assombrosa. Será comigo, ou com algum sucessor meu?, Vi que o Papa deixará Roma e, para sair do Vaticano, terá que passar sobre os cadáveres de seus padres.”


Profecia do Beato Tomasuccio de Foligno (1319 - 1377) - franciscano terciário, nascido em Valmacinaia, Nocera Umbra, Itália:

Ele profetizou a impressionante data ordinal de 2013 d.C., para o cumprimento de uma profecia papal sobre um futuro sucessor do Papa Gregório XVII. O Cardeal Giuseppe Siri, teria sido eleito Papa nos conclaves de 1958 e 1963, sob o nome papal de Gregório XVII, mas, foi impedido de assumir o Papado.

O sucessor legítimo do Papa Gregório XVII

A Profecia do Pastor digno: 

"Um, além das montanhas, passa a ser o Vigário de Deus (o Papa). Religiosos e clérigos devem participar dessa mudança. 

Fora o verdadeiro caminho, haverá apenas homens de má reputação; Eu darei meus ombros quando a Barca de Pedro estiver em perigo e não houver ninguém para ajudá-la...O cismático deve cair sob o desprezo dos fiéis italianos..."

Depois de passados 12 anos do milênio, [12 anos após o ano 2000: 2013 d.C.] o manto resplandescente do poder legítimo irá emergir das sombras em que foi mantido pelo cisma. E, além do dano causado, porque está bloqueando a porta da salvação, porque este que tem cisma chegou ao fim. E a massa dos fiéis devem juntar-se para o Pastor digno e devem libertarem-se cada um do seu erro e restaurar a Igreja, a sua beleza. Ele deve renová-la ."

A Bendita Anna-Maria Taigi predisse que , após um período sem precedente de tempo e de sofrimento [o que inclui o reinado de terror (cisma) inflingido pelo concilio dos antipapas (Concílio Vaticano II), de 1958/63 à 2013, ou seja, de João XXIII até Bento XVI], em que a verdadeira Igreja [que não  deve ser confundida com a seita apóstata do Concílio Vaticano II] estará passando por um cisma, e que, segundo a vidente, a restauração da glória do Papado verdadeiro de fato já aconteceu em algum tempo desconhecido no futuro.

Segundo o que nos disse a Venerável Anna-Maria Taigi, acima, o cisma entre a seita do Concílio Vaticano II e a Igreja Católica, foi concluído em 2012, sendo que, com a recente resignação do Papa Bento XVI, em fevereiro de 2013, abrindo caminho assim, para a eleição de um novo e legítimo Papa não cismático, desde João XXIII o próprio Bento XVI, sendo que todos os Papas desde 1958 até 2013(Fevereiro),  foram Papas Cismáticos.

A Venerável Anna Catherine Emmerick - 1820, profetizou acerca de "um Papa que vai vestir vermelho" (ao invés do tradicional branco).

Teoria da conspiração:

Resignação do Papa Gregório XVII (Cardeal Giuseppe Siri): O Papa legítimo que foi eleito pelos Conclaves de 1958 e 1963, mas, não foi Papa !? 

Giuseppe Siri foi um Cardeal italiano da Igreja Católica e Arcebispo de Gênova entre 1946 e 1987, e que foi elevado ao cardinalato em 1953 pelo Papa Pio XII.
 
De acordo com os defensores da tese de Siri, o Cardeal recebeu a maioria dos votos no conclave papal por duas vezes: em 1958 e 1963,  mesmo depois de anunciar que ele gostaria de ser conhecido como o Papa Gregório XVII. Tendo em conta que a conduta dos conclaves é estritamente confidencial e que qualquer cardeal revelando tais detalhes enfrentaria excomunhão automática, nenhuma prova documental já fundamentada, refutada, mesmo como um rumor, foi amplamente reivindicada. 

Alguns católicos tradicionalistas acreditam que o Cardeal Giuseppe Siri foi de fato eleito Papa no conclave de 1958, mas que teve que dar o seu lugar a Ângelo Roncalli (o Papa João XXIII), devido às ameaças dos comunistas. Os apoiantes desta teoria afirmam também que esta suposta resignação do Cardeal Siri era ilegal, por isso eles acreditam que Siri é que era o verdadeiro e legítimo Papa que teria inclusive, escolhido o nome papal de Gregório XVII. Eles acham por isso que, João XXIII era só um mero usurpador ilegal da cátedra de São Pedro.

Este suposto Papa estava entre os cardeais do Concílio Vaticano II, tendo inclusive, seus decretos implementados.

Um grupo sedevacantista afirma que Siri foi realmente eleito para o Papado, mas, apenas para ser substituído por Angelo Roncalli (João XXIII) em 1958 e por Giovanni Battista Montini (Paulo VI) em 1963.

O Cardeal Giuseppe Siri de Gênova, Itália, foi eleito Papa em 26 de outubro de 1958, sob o nome papal de Gregorius XVII, mas, ele foi colocado sob um documentada ameaça constante de morte (coação) por mais de 30 anos. Gregório XVII, pela Providência Divina, foi capaz de criar Cardeais (que incluiu designar um Camerlengo) para realizar a missão da Igreja (hierarquia), em 1988. O Papa Gregório XVII formulou um "Plano de Continuidade de Papado" para 1988-1989, com uma diretiva do Papa a seus cardeais fiéis para elegerem seu sucessor imediatamente se ele morrer de uma forma imprevista (o que assim ocorreu). Gregório XVII, morreu no exílio em 02 maio de 1989.

Existem alguns que reconhecem que o Papa Gregório XVII foi de fato eleito Vigário Legal de Cristo na Terra, no Conclave de 1958, mas ,ele perdeu sua jurisdição ("deixou de ser Papa ") em algum ponto indefinido.

"Mas, ninguém na Terra pode tocar o Papa" 

"A Igreja não tem poder para mudar a forma de seu governo, nem para controlar o destino de quem, uma vez validamente eleito,  torna-se  vigário, não dela , mas, Vigário de Cristo. Consequentemente, ela não tem poder para punir ou destituir a cabeça (O Papa). Ela nasceu para obedecer."

Eles supõem um Papa que deve escandalizar a Igreja, nos pecados mais graves; eles supõem que ele seja incorrigível, e em seguida, eles perguntam se a Igreja pode depô-lo. Sua resposta é não!, "Pois ninguém na Terra pode tocar o Papa." (A Igreja do Verbo Encarnado pelo monsenhor Charles Journet - Professor no Seminário Maior de Friburgo -, Volume Um: A Hierarquia Apostólica Sheed e Ward, Londres e Nova Iorque, 1955).

Um sucessor legítimo do Papa Gregório XVII será manifestado:

A Bendita Anna-Maria Taigi (1769 - 1837), disse:

"Após os Três Dias de Escuridão, São Pedro e São Paulo, tendo descido do céu, vão pregar em todo o mundo e...designar um novo Papa. Uma grande luz irá piscar de seus corpos e resolver sobre o Cardeal que há de se tornar Papa. Rússia, Inglaterra e China (o vidente norte-americano Edgar Cayce também previu isso) virão para a Igreja.

O Cristianismo, então, vai se espalhar por todo o mundo. Ele é o Sumo Pontífice escolhido por Deus para resistir à tempestade. Ao final, ele terá o dom dos milagres, e seu nome deve ser louvado por toda a terra. Nações inteiras vão voltar para a Igreja e a face da terra será renovada." (Profecia da Beata Anna-Maria Taigi, que foi beatificada pelo Papa Bento XV em 1920).

A Venerável Madre Maria Elena Aiello, 1895 - 1961, teve nos anos 50 novas revelações, as quais foram aprovadas pela Igreja. Em 27 março de 1959, ela teve a seguinte revelação: 

O Reino de um legítimo Papa vai passar à humanidade necessariamente, porque não é possível que um Papa possa reinar nesta imundície social, legal e "ecumênica"...

"...O manto do poder vai sair das sombras..."O Papa legítimo sairá das catacumbas...Talvez "Siri" estivesse sempre certo em sua tese, e esses usurpadores que ocupavam a sede nestes anos, permanecem expostos para que eles tenham sido: traidores de Deus...


A CÉLEBRE PROFECIA
 SOBRE OS PAPAS


PAPA FRANCISCO

"SEGUNDO A PROFECIA DE SÃO MALAQUIAS, O SUCESSOR DE BENTO 16, O PAPA FRANCISCO (PETRUS ROMANUS), SERÁ O ÚLTIMO PAPA VERDADEIRO DA IGREJA CATÓLICA ANTES DO JUÍZO FINAL"




OS ÚLTIMOS PAPAS

"A PROFECIA DE SÃO MALAQUIAS"
Comments
You have no permission to add comments.

Nenhum comentário:

Postar um comentário